Pular para o conteúdo principal

horárias na prática - parte 1

Apresento ao leitor um caso de astrologia horária.

Por mais medíocre que seja o propósito de uma carta horária, sempre será oportuno para aprender como funciona algum preceito da astrologia. Eu recomendo a todos os interessados em astrologia clássica que façam dezenas de horárias, principalmente para propósitos de curto prazo, pois assim será possível conhecer o desfecho se lembrando de que você fez uma carta horária para saber dele... Assim, você terá diante de si um "gabarito" de um exame astrológico, a melhor coisa para fins de aprendizado.

A horária acima foi erguida no momento em que o nativo passava por uma pequena aflição. Ele necessitava do carro, mas sua mulher levara consigo os documentos do veículo. Contando somente com a habilitação, ele corria o risco de ser parado por um policial e de ter o veículo apreendido.

O nativo preferiu correr o risco e usar o carro. A seu lado, estava a racionalização de que era médico e poderia alegar estar em serviço num plantão de emergência (o que era no caso verdadeiro); soma-se a isso o alívio de ter que percorrer pequenos trechos, de no máximo vinte minutos, e que estavam fora de auto estradas.

Como os leitores sabem, uma racionalização apenas serve de conforto psicológico a quem comete uma infração, porém não o isenta do risco... Da mesma forma, uma carta horária apenas pode aliviar a ansiedade, mas não inteiramente.

Para que a horária retire completamente a ansiedade do consulente, ela precisa ser clara mas, infelizmente, a maioria das horárias que faço possuem alguma ambiguidade e só se terá certeza plena do seu resultado após o ocorrido. Enquanto não ocorre, é necessário arriscar um julgamento com base nas experiências passadas e na leitura dos clássicos.

Na noite anterior ao uso do carro, ergui a horária acima. Capricórnio ascendia, um signo móvel. Os signos móveis (Áries, Câncer, Libra e Capricórnio) geralmente estão envolvidos em perguntas sobre viagens e movimento. Dentre todos esses signos, Câncer indica as viagens mais longínquas, que atravessam oceanos. É do 15º grau de Câncer que se extrai a Jalapathana Saham dos indianos, chamada pelos medievais de "Parte das viagens pelo mar".

Sahl ibn Bisr dizia que devemos operar pelo planeta mais forte dentre a Lua e o regente do Ascendente na representação do nativo. No caso em questão, Saturno está angular (na casa 10) enquanto a Lua em Sagitário na 12 cai dos ângulos e com isso, a força maior reside no regente do Ascendente Capricórnio.

Pelo fato de Saturno estar angular e exaltado, isso seria um 'diagnóstico' astrológico de sucesso, independente do motivo da questão, mas há um porém: Saturno está retrógrado.

Eu não mudaria o meu propósito independentemente do resultado da horária. Como eu disse, contaria com a ambiguidade e com minha ignorância em julgar alguns temas para viajar. De qualquer forma, o propósito em se levantar uma horária dessa seria para fins de aprendizado a posteriori - principalmente para saber o que representaria a retrogradação num contexto como esse.

Eu usei o carro durante quatro dias - sem viajar por muito tempo e apenas percorrendo vias urbanas - incólume. Minha mulher voltou e agora o carro está com os devidos documentos.

De fato, a retrogradação não impediu que eu viajasse, tampouco representou a apreensão do carro. Parece que o tipo de impedimento da retrogração não impede o desfecho positivo de uma questão, mas indica alguma falha moral da pessoa, como não portar os documentos.

A retrogradação indica um 'porém' que não necessariamente impede o bom resultado da questão. Pode representar um contratempo, uma falha moral ou uma deficiência. Alguns medievais (cujos nomes não vou lembrar agora...) definem a retrogradação como sendo uma 'contrariedade', mas caso o planeta retrógrado tenha dignidade, a pessoa pode ainda realizar o que ele representar.

Geralmente é difícil sabermos de antemão o que a retrogradação representa. No caso em questão, representava nadar 'contra a corrente' das autoridades. A casa das autoridades é a casa 10, mas saturno em sua exaltação garantia a ida e o retorno seguro.
As dignidades indicam a qualidade do resultado da questão. Um planeta em exaltação nem sempre indicará que a pessoa será aclamada pelo bom resultado da questão, mas o desenrolar dela será sereno, sem percalços nem perdas. Contribui para isso os aspectos: maléficos em mal estado aspectando adicionam informações ruins à questão.
Vejamos algumas coisas que a retrogradação pode representar:
  • Se outros fatores prometerem um bom resultado, a retrogradação indica a realização da questão por métodos alternativos, que podem ser moralmente questionáveis.
  • Pode indicar uma pessoa rebelde, que literalmente 'nada contra a corrente'.
  • Pode indicar uma realização capenga, aquela que se consegue chegar ao objetivo mas faltando diversas coisas. Seria o aluno que passa no vestibular mas que mal sabe escrever...
Finalizando, os ângulos (Casas 1, 4, 7 e 10) indicam estabilidade na questão. Dirigir não é uma atividade estável porque o carro está a mudar sua posição, mas não é esse tipo de estabilidade a qual me refiro. Em se tratando de uma viagem estável, o nativo não tem de se afastar do seu fluxo planejado.

Os ângulos também indicam prontidão na realização de uma questão. Pode também indicar que a questão depende inteiramente do nativo, uma vez que os ângulos são definidores das circunstâncias de vida e da personalidade dele.

Os cadentes (casas 6, 12, 9 e 3) indicam questões que fogem inteiramente do controle do nativo. Dentre essas casas, as mais controláveis são a 9 e a 3.

A palavra 'cadente' é muito perigosa porque pode ser entendida também como sinônimo de casas que não aspectam o ascendente, mas esse conceito incluiria as casas 2, 6, 8 e 12 e excluiria as casas 3 e 9, que aspectam o Ascendente.

De qualquer forma, seguimos indicando as casas unânimes nos dois esquemas, que são as que causam mais problemas: a casa 6 e a 12. As outras podem ter uma expressão muito mais positiva dependendo dos testemunhos dos planetas.

Espero que o leitor aprenda com esse caso e que desenvolva seus estudos de astrologia horária: sem dúvida o melhor professor de astrologia é a própria astrologia.









Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Como interpretar uma Revolução Solar?

No post anterior eu comecei a falar sobre o método de previsão mais popular da idade média e renascença: direções primárias + revolução Solar. Também lancei no ar uma frase não-tão-enigmática assim:
Na revolução, qualquer coisa que signifique o nativo deve estar em contato com qualquer coisa que signifique o evento Neste artigo, vamos decifrar a frase acima: você aprenderá a interpretar uma revolução solar de um modo minimamente decente pra você já fazer alguma previsão.

Para ter um entendimento satisfatório desse artigo, você precisa saber alguma coisa de astrologia: o que cada casa e planeta podem representar, o que são partes árabes, e o que são aspectos/conjunções. É um artigo para os já iniciados, mas você que está começando agora pode consultar outras fontes pra entender o que falo aqui - com a internet, não será difícil.

Como nascem os eventos? As aulas de astrologia horária que você anda fazendo com o tio William Lilly deveriam te levar a mais além de encontrar seu cachorro. E…

As Casas da Morte.

Quando se pensa em morte na Astrologia Moderna, após uma série de desculpas e desembaraços para se lidar com o tema, vem a nossa mente a Casa VIII. Na Astrologia Medieval, essa também é a Casa usada para a questão, porém existem mais duas que tem participação na delineação da morte: As Casas IV e VII. Como muitas coisas dos livros antigos, elas são citadas porém não são explicadas. Tal qual um rabino dedicado ao estudo do Torá, temos de buscar algum sentido para aquilo se quisermos "digerir" os aforismos. Caso contrário, estes passarão incompreensíveis ao nosso entendimento.

A Casa VII é o lugar onde os planetas se põem, e portanto guardam uma representação simbólica de morte. Autores gregos também consideram planetas na VII como representantes de eventos que acontecerão no fim da vida do nativo.

A Casa IV marca o fim de um ciclo, pois a partir dela o planeta volta a "subir" rumo ao Ascendente. Muitos autores usam a Casa IV para simbolizar as coisas que acontecem ao …